As Nações Unidas exaltam as tecnologias pelo seu poder de promover o desenvolvimento sustentável nos países menos desenvolvidos, neste Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação. 

A organização estima que o grupo de economias reúna cerca de 407 milhões de pessoas usando a internet. A proporção é de 36% da população vivendo nesses contextos, em comparação com 66% da média global. 

Convenção Telegráfica Internacional  

Foi em 17 de maio de 1865 que foi fundada a União Internacional de Telecomunicações, UIT.  

A data coincide com a assinatura da primeira Convenção Telegráfica Internacional, em 1865. Em mensagem para a celebração deste ano, o secretário-geral António Guterres aponta a revolução digital como uma força que define a era atual.  

Para o líder das Nações Unidas, as oportunidades nesse campo vão desde a transformação da educação e da saúde até a aceleração da ação climática e a conquista dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.   

No entanto, ele disse que o lado promissor da tecnologia vem acompanhado de perigos como a falta de barreiras éticas e estruturas de governança robustas.  

Guterres cita, no entanto, o aumento do discurso de ódio, da desinformação, de divisões sociais, das desigualdades econômicas, além de riscos da inteligência artificial, como notícias falsas e decisões tendenciosas sem capacidade humana para esclarecer totalmente. 

Melhorar a acessibilidade e a inclusão  

Para Guterres, a tecnologia deve ser um instrumento para reduzir as divisões não as aprofundar. O chefe da ONU menciona ainda o papel essencial da internet para criar valor e inovação, mas diz que países menos desenvolvidos podem ficar para trás. A sugestão é que melhore a acessibilidade, a inclusão acabe a divisão digital.  

Governos em um número crescente de países intencionalmente interrompem a internet para controlar o fluxo de informações.

Unsplash/Avi Richards

Governos em um número crescente de países intencionalmente interrompem a internet para controlar o fluxo de informações.

Guterres defende ainda que aumente o apoio para que sejam definidos como bens públicos digitais recursos incluindo softwares de código aberto, dados e conteúdo aberto.  

Outras sugestões envolvem o investimento em capacidades das instituições públicas para que “tenham habilidades e recursos para entender, supervisionar, moldar e se envolver com a inteligência artificial e outras tecnologias”.  

Acesso à internet aquém do grosso da população global 

De acordo com a ONU, 720 milhões de habitantes em nações menos avançadas que não têm acesso à internet representam 27% da população global.  

Mas o total de pessoas nesses países equivale a 14% da população mundial.  

Com o Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação, as Nações Unidas querem aumentar a consciência sobre esperanças oferecidas pelo uso da internet e outras tecnologias de informação e comunicação. 

As vantagens podem ser colhidas por sociedades, economias e ajudar a superar o fosso digital.   

Fonte: https://news.un.org/pt/story/2023/05/1814492

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *