A data comemorativa do radioamador brasileiro refere-se à primeira regulamentação do serviço no Brasil, que o correu no dia 05 de Novembro. Nesta data, em 1924, ele demonstrou que era oficializado no Brasil o radioamadorismo por meio do Decreto 16.657, de 05 de Novembro de 1924. Este sim, é o pontapé oficial inicial do radioamadorismo em nosso país!

No seu Art. 43, ele diz, na grafia original da época:

Estações de amadores

Na mesma época, o radioamadorismo nascia no Brasil: Lívio Moreira, SB-3IG (e depois BZ-1M) é reconhecido no mesmo ano como o primeiro radioamador brasileiro. No rastro dele, começam a surgir diversos radioamadores pelos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Pernambuco e Pará.

O radioamadorismo é um hobby técnico-científico e um serviço de telecomunicação (Serviço de Amador e Amador por Satélite). É praticado em quase todos os países do mundo por pessoas habilitadas e licenciadas pelas autoridades de telecomunicações para a intercomunicação e estudos técnicos sem motivo de lucro. O radioamadorismo possui legislação nacional e internacional que regulamenta as condições de uso e as frequências de rádio destinadas à atividade que obrigatoriamente devem ser seguidas pelos praticantes, chamados de radioamadores.

O radioamadorismo não deve ser confundido com o Serviço Rádio do Cidadão (conhecido como PX no Brasil) ou Serviço Limitado Privado (exercido nos comunicados via rádio por categorias profissionais como motoristas, taxistas, caminhoneiros etc.) No mundo, o radioamadorismo foi responsável pelo avanço de muitas tecnologias. Os radioamadores desenvolveram a base da radiocomunicação desde seu início, se não fossem as técnicas desenvolvidas pelos radioamadores a internet, por exemplo, não existiria, ou demoraria muito mais para ser desenvolvida. Outros avanços que ocorreram graças ao radioamadorismo.

foram na área da radiocomunicação, como a telefonia celular, o radar, o sistema de transmissão de dados via microondas e até mesmo o sistema de fornos de micro-ondas.

Os sistemas de telefonia celular partem do mesmo princípio das estações repetidoras que são utilizadas pelos radioamadores. No serviço de Radioamadorismo, o sistema das repetidoras trabalha em duas frequências diferentes, uma para recepção e outra para a transmissão (a diferença entre as frequências é de 600 kHz para a faixa de 2 metros). As estações que utilizam repetidoras na faixa de radioamador utilizam uma função, transmissão ou recepção, por vez (sistema simplex), ou seja, quando estão falando, silencia a recepção. As repetidoras destinadas à telefonia celular utilizam as duas funções simultaneamente (sistema duplex ou full-duplex), permitindo falar e escutar ao mesmo tempo. Obviamente que hoje as famosas ERBs (Estação Radio Base) de telefonia celular utilizam um sistema muito mais evoluído que o descrito, porém a essência do funcionamento é o mesmo.

COMPILADO POR:

Daniel Adão de Oliveira-PY4DI

Radioamador desde 2000

Registro ANATEL PY4DI

FONTES:

Alisson, PR7GA , https://qtc.ecra.club

https://pt.wikipedia.org/wiki/Radioamadorismo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *